TOP
Colaboração Desenvolvimento Pessoal Desenvolvimento Profissional Mentoria Planejamento de Carreira Transição de Carreira

“Transição de Carreira – Dica #27: reinvente-se!”

Olá, Secretariandos! Tudo bem por aí?

 

Muito obrigada por sua visita aqui no Secretariado Com Simone! É com muita satisfação que eu trago para vocês mais um insight desta nossa série de artigos diários sobre transição de carreira. O texto de hoje é muito especial para mim, veio do coração mesmo, espero que vocês curtam! 🙂

 

A dica de hoje é a #27: reinvente-se!

 

Estamos falando sobre manutenção de carreira, certo? Para o post de hoje eu quero te contar um pouquinho da história de uma assistente que, para mim, é um case de sucesso neste aspecto! E eu acho que até o final do texto ela vai te conquistar também!

 

Em uma das empresas onde eu trabalhei, conheci uma assistente, ela já era uma profissional de nível sênior. Aqui vamos chamá-la de Helena 🙂 Helena era reconhecida por seus colegas pela seriedade com que realizava o seu trabalho e por sua  eficiência.

Nós éramos praticamente vizinhas no espaço que ocupávamos no andar, mas não trabalhávamos no mesmo departamento.  Naquela época eu era estagiária, e houve momentos em que eu precisei aprender algumas atividades e, pela experiência dela, eu recorri à sua ajuda diversas vezes.

 

Por essas coisas da vida, em um dado momento, eu comecei a trabalhar no mesmo departamento da Helena, nos tornamos pares. Ela atendia o diretor da área e eu atendia as gerências e suas equipes.

 

Helena tinha aproximadamente 20 anos de empresa quando eu comecei a trabalhar lá. Era uma empresa de grande porte, reconhecida em seu setor, uma multinacional européia que já havia passado muitas fusões. Durante estes 20 anos de carreira nesta empresa, você consegue imaginar por quantas mudanças de chefias, de gestão, de área, de cultura, de processos e de sistemas a Helena passou? Pois é, foram muitas! E sabe porquê Helena continuava recebendo o total reconhecimento, não só do seu chefe mas também da equipe, sendo uma profissional respeitada e tida como referência na empresa? Vem comigo que eu te conto o que eu aprendi observando a Helena:

 

  • Helena se reciclava constantemente

Eu via a Helena como uma enciclopédia da empresa 🙂 E não estou falando apenas do histórico que ela trazia na bagagem que fora adquirida de anos anteriores não!

Para adaptar-se às mudanças pelas quais passou ao longo de sua carreira nesta empresa, Helena desenvolveu uma postura comprometida e respondia muito bem às mudanças. Ela estava sempre atualizada dos novos processos e procedimentos, dos novos sistemas, participava de todos os treinamentos e buscava esclarecimento com as áreas correspondentes para assegurar-se de que estava procedendo da maneira correta.

Helena era sempre A referência quando se tratava do novo! E o mais incrível é que estas características eram tão inerentes ao seu perfil profissional, que Helena acreditava que “estava simplesmente fazendo o seu trabalho”.

A gente até pode concordar com isso, mas quantos problemas, conflitos e retrabalhos já vivenciamos na vida corporativa exatamente pela falta desta consciência e atitude que eram tão vivas no dia a dia de Helena? Definitivamente, esta postura de reciclar-se constantemente e esta adaptabilidade não são assim tão comum no meio profissional, não é mesmo?

 

  • Helena compartilhava seu conhecimento

Tanto no período em que trabalhávamos em áreas diferentes, como no período em trabalhávamos no mesmo departamento, observei que Helena sempre contribuiu com seus colegas compartilhando o conhecimento.

Helena entendia que estávamos todos “no mesmo barco” e, diferente de muitas outras assistentes, não retinha informações. Durante os anos em que fomos pares, eu tive a Helena como minha mentora, mesmo que de maneira informal, e aprendi muito com ela. Hoje eu vejo que esta atitude dela fazia com que nosso trabalho e a nossa comunicação fluísse muito bem. E se nós estávamos bem alinhadas, o departamento todo estava também 😉

Afinal de contas, de que valia todo este conhecimento se ela não o multiplicasse quando necessário. Bom, isso parece óbvio quando olhamos a história da Helena, mas esta postura não é tão fácil assim de encontrar no meio corporativo, principalmente entre assistentes.

 

  • Helena reconhecia que não sabia tudo

Acho que já deu para perceber que eu sou a fã número 1 da Helena, não é mesmo? (risos!). E uma das coisas que também me chamava a atenção na postura da Helena era a sua abertura para reconhecer que não sabia tudo e também para aprender, mesmo que o conhecimento viesse de profissionais mais juniores que ela.

Como pares, Helena e eu trabalhamos juntas em muitos projetos da diretoria. E, em alguns deles, eu tinha determinado tipo de conhecimento ou encontrava algumas soluções, que ela não conhecia. Helena sempre se mostrou muito pronta para assimilar aquele novo conhecimento e internalizá-lo em nosso projeto, ela não apresentava resistência simplesmente porque a idéia ou o conhecimento tinha vindo de alguém que era menos experiente que ela. Helena tinha um nível de segurança em seu trabalho, de inteligência emocional e de senioridade, que não davam espaço para o medo do novo.

 

Eu aprendi muito com a Helena ao longo da minha trajetória naquela empresa, e ainda aprendo. Não preciso dizer que nos tornamos amigas e que mantemos contato até hoje, não é mesmo? 🙂 Que todos nós possamos aprender com a Helena, a ser mais como ela, porque ela foi e continua sendo o que eu chamo de “case de sucesso” em vários quesitos, inclusive quando o assunto é  “manutenção de carreira”.

 

Meus conselhos? Primeiro: seja a Helena na vida de algum profissional menos experiente que você. Segundo: observe e aprenda da Helena que está ao seu lado!

 

Grande abraço e bom final de semana! Nos encontramos amanhã, em mais um post da série!

#SecretariadoComSimone #30ideias30dias #DecolaLab2017 #ManutençãoDaSuaCarreira #TransiçãoDeCarreira

Author: Simone

Bacharel em Letras pela USP, Técnica em Secretariado Executivo, fluente em inglês, espanhol e português. Criadora do Secretariado com Simone, atualmente vivendo em Santiago do Chile.

Comentários

Tags:          

«
»