TOP
Desenvolvimento Profissional Planejamento de Carreira Recolocação Profissional Transição de Carreira

“Transição de Carreira – Dica #9: ajuste o seu material!”

Olá, pessoal!

 

Aqui estou de volta com mais uma dica, curtinha e diária, diretamente do mundo dos meus aprendizados sobre transição de carreira.

E a dica #9 é: ajuste o seu material!

 

Sim, nós já falamos sobre cuidar da mente, do corpo, do ambiente que nos cerca, sobre ter um plano de ação focado e executá-lo, e hoje vamos falar sobre um dos principais materiais para a transição de carreira: o currículo.

Porque mesmo em terra de LinkedIn, ele não perde a importância, e um currículo bem feito gera muitas oportunidades! Vamos lá!

 

1. Reveja seu currículo e adapte-o para cada vaga específica.

Lembra do nosso papo sobre buscar oportunidades com mais foco e propósito? Pois é! Não panflete o seu CV! Se você vai concorrer a uma vaga de Office Manager, ou de Assistente Administrativa, de Recepcionista Bilíngüe ou Secretária Executiva, há diferenças – algumas mais sutis que outras – nas competências, habilidades e experiências que você precisa destacar para cada uma destas candidaturas, porque são posições com destaque, foco e exposição completamente diferentes! Já pensou nisso?!

Além disso, não menos importante, é adaptar o “objetivo” para a vaga específica que você deseja concorrer. Prepare sua candidatura com atenção e dedicação para cada processo seletivo, economize no tempo que você gastaria metralhando dezenas de CVs sem propósito para concentrar-se na personalização de um CV certeiro! 😉

 

2. Fique atento aos requerimentos de candidatura para a vaga.

É dizer, siga as orientações do recrutador. Se te solicitam currículo com foto ou se pedem que seja informada a pretensão salarial, faça-o. Se o selecionador receber um CV que não atende os requisitos, há grandes chances de que este currículo será descartado. Afinal, se você não deu atenção ao anúncio dele, por quê ele deveria dar atenção a você?

Vale destacar que a foto não precisa ser profissional, mas alguns requisitos básicos devem ser observados: boa iluminação, uma expressão amigável, um fundo que não tenha excesso de informação, bem enquadrada, trajando algo que esteja de acordo com a posição à qual você deseja candidatar-se, etc. Enfim, fuja da foto 3×4 mas também não use a selfie da balada :p

 

3. Coloque esforço no seu sumário!

Sim, é importante ter um sumário no seu currículo, mas evite textos muitos extensos e subjetivos – deixe a poesia para o seu horário de lazer 😀

Uhum, sinto informar, mas isso de escrever um sem fim de elogios sobre a sua própria pessoa – que por sinal é muito pró-ativa, dedicada, multitarefas e, além de tudo, comprometida e excelente para trabalhar em equipe – não cai nada bem! Na verdade o recrutador quer ter a sua própria percepção sobre você, durante a leitura do seu CV e na entrevista.

Eu sei, a gente ficou um tempão aprendendo palavras bonitas para colocar no sumário do CV, não é?! E agora, o que colocar lá então?

Muito mais simples assim, não é? 🙂

 

É isso mesmo! Atenha-se aos fatos! Busque informar números e dados que sejam relevantes para o cargo que você almeja: idiomas que domina, experiências interculturais, tamanho das equipes com as quais trabalhou e níveis hierárquicos, projetos nos quais tenha participado, tempo de experiência, principais áreas de expertise, enfim, tudo o que puder ser considerado um fato, que possa ser com-pro-va-do em sua experiência e, principalmente, que tenha consistência com o restante do seu currículo.

 

4. Não se esqueça do básico!

Que na verdade, de básico, não tem nada! Leia e releia o seu CV. Se possível peça a ajuda de um amigo, mas assegure-se de que o seu material esteja escrito de maneira coerente, objetiva e tenha passado por uma severa revisão ortográfica e gramatical.

 

5. Cuide da formatação do seu currículo e… não perca o controle!

Certifique-se de que o texto esteja justificado, escrito em uma fonte que seja de fácil leitura e não menor que 11. O recrutador não deveria esforçar-se para conseguir ler o seu CV.

Por este mesmo motivo, não perca o controle! Não coloque absolutamente tudo o que você já fez na sua vida no seu currículo, tornando-o demasiadamente longo. Identifique quais são as experiências-chave que seriam valorizadas por esta empresa, para esta posição, e destaque-as. Com certeza você terá oportunidade de falar mais sobre você em algum momento, mas a idéia não é sobrecarregar o CV de informação, o que na verdade pode deixar a leitura bem cansativa e até mesmo confusa.

 

6. Tenha coerência de ponta a ponta.

E para finalizar: lembre-se que o seu CV e o seu LinkedIn devem dizer a mesma coisa sobre você. Tenha cuidado para que você não informe cargos diferentes ou períodos e experiências conflitantes em cada uma destas fontes. Tudo o que nós não queremos, depois de tanto empenho, é deixar o recrutador confuso, certo? 😉

 

E por falar nele… quem quer falar sobre LinkedIn põe o dedo aqui! \o/ Nos vemos de novo amanhã então! YAY!

 

Psiu 1: nossa página no Facebook está no ar! Chega mais! Tem conteúdo exclusivo que só compartilhamos por lá!

 

Psiu 2: no post de ontem nós falamos sobre a importância de uma carta de apresentação bem feita para diferenciar o seu currículo dos demais. Perdeu? Então olha aqui!

 

Obrigada por nos acompanhar, e até a próxima! 🙂

#SecretariadoComSimone #30ideias30dias #DecolaLab2017 #PreparandoSeuMaterial #TransiçãoDeCarreira

Comentários

Tags:    

«
»